Postagens

Inverno

No dia em que fui mais feliz
Eu vi um avião
Se espelhar no seu olhar até sumir
De lá pra cá não sei
Caminho ao longo do canal
Faço longas cartas pra ninguém
E o inverno no Leblon é quase glacial
Há algo que jamais se esclareceu:
Onde foi exatamente que larguei
Naquele dia mesmo
O leão que sempre cavalguei?
Lá mesmo esqueci
Que o destino
Sempre me quis só
No deserto sem saudade, sem remorso só
Sem amarras, barco embriagado ao mar
Não sei o que em mim
Só quer me lembrar
Que um dia o céu
Reuniu-se a terra um instante por nós dois
Pouco antes do Ocidente se assombrar


Canção de Adriana Calcanhotto

Idealismo

Maldito idealismo que não me deixa desistir...
Quanto mais difícil, mais otimismo, mais vontade de seguir em frente.
Treino meu cérebro pra ele desistir. É mais fácil, menos doloroso. Dura um segundo.
O coração diz, vai, teima que dá certo, teima que uma hora dá certo.

"GRAVIDEZ NÃO É DOENÇA"

Imagem
Não, não é doença. Mas, dói! Dói de dentro pra fora e as vezes de fora pra dentro. Dói a coluna, as pernas, e todas as articulações. Dói na alma, na mente e até uma dorzinha no coração as vezes dá.
Falta ar, falta disposição, é, falta muito ânimo. Deita, vira de um lado, agora, do outro lado, levanta, senta. Pressão sobe, pressão desce. Mas conseguir dormir que é bom, nada.
Não pode comer sal, açúcar e nem pensar em refrigerante ou chocolate.
Come, come, come, come, para! Enjoei, vai tudo pra fora. Mas não é doença!
Terceiro trimestre. Não pode ficar mais sozinha, depender de um e de outro. Quase não se anda mais.
Não, gravidez não é doença. GRAVIDEZ É MILAGRE DIVINO. Aguentar tudo isso e ainda amar incondicionalmente o filho, se doar por inteira por alguém que você ainda nem tem por inteiro e mesmo assim se sentir a pessoa mais feliz do mundo por ser mãe. Isso que eu chamo de amor verdadeiro. Quem ama tudo suporta, tudo crer, tudo espera...
Mas, não custa nada ajudar, cuidar, apoiar…
"No caso das borboletas, o bater de asas de uma delas em um determinado lugar do mundo pode gerar uma movimentação de ar que, intensificada, desencadearia a alteração do comportamento de toda a atmosfera terrestre, para sempre". 

E minha filha essa noite resolveu me dar vários "ois", mexendo-se sutilmente, como o bater das asas de uma borboleta. Coisa incrivel sentir outro serzinho vivo dentro de você!!!

Mas o que foi que eu fiz?

Tem coisa que não tem jeito não. Tem coisas que por mais que você se esforce, não-vão-dar~certo. Tem coisas que acontecem e você nem sabe por quê. E acontecem. Você não sabe o que fez. Mas aconteceu. 
Lembro de uma época em que fazia terapia com uma psiquiatra muito esquisita, e no meio do  poço de depressão que eu tava, rodeada do lamaçal de somente coisas ruins que me acontecia, ela seeeempre me dizia que a culpa era minha. Eu tinha feito alguma coisa pra estar passando por aquilo. Eu tinha que descobrir que merda que eu andava fazendo. Rapaz... se eu soubesse, não estaria ali pagando uma pequena fortuna toda semana. Fali e nunca descobri. 
Esse final de semana me aconteceram coisas semelhantes com pessoas diferentes, coisas desagradáveis que com certeza eu devo ter feito alguma coisa pra merecer. O quê? Não sei. E se eu não descobrir, se Deus não me revelar (porque só Deus!), eu não vou poder fazer nada a respeito. 
Juro que a princípio fiquei bem chateada. Os hormônios da gravide…
Imagem
E eu senti mais falta do meu pai como nunca. Falta de quando eu me sentia protegida e achava que nada ia me atingir. Hoje eu vi, mais uma vez, em mais um momento, o fim de tudo que se foi junto com ele. Porque hoje eu tenho 40 anos e choro como uma menininha de 4 que teve sua boneca quebrada na hora do recreio. Meu pai consertaria tudo. Hoje nada pôde ser consertado.