Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2004
Imagem
"Muitas vezes as pessoas lhe tratam como ninguém e você acaba acreditando que é verdade"



ó uma perguntinha... o que fazem quando estão tristes???
Eu simplesmente durmo. Durmo o dia todo. O tempo todo, quando possível. A vida toda, se der.

Numa só semana meu humor mudou de melancólica para enraivecida, passando por amarga e chegando ao nojo total. Sim, estou enojada.
Enojada com coisas que vi, que ouvi, que li e outras que percebi. A superficialidade das pessoas, a falta de respeito dos homens pelas mulheres, a vulgaridade, a banalidade do sexo e até do amor.
Sim, como disse meu amigo Gil, a onda é ser putão e piriguete e hoje em dia ninguém mede as palavras. Se o cara tá afim de pegar a menina, ele chega pra ela e diz, com todas as palavras. Pegar significa levar pra um motelzinho, pra sua casa, pra dentro do carro, pra qualquer lugar onde possam ficar sozinhos. No outro dia... ah, no outro dia ele vai estar com a namoradinha oficial, com a esposa, seja lá quem f…

Cabelo, cabeleira, cabeluda, descabelada...

Imagem
Do Túnel do Tempo
Acho que pode até ser mais uma série, com o título:  A domadora de cabelos
Primeira cena: A vítima: Eu, revoltada, indago: "Não sei mais o que fazer com o meu cabelo!" O vilão: Meu cabelo. Parece com nada. Nem liso, nem crespo, nem cacheado, nem ondulado. Rebelde sem causa. A Super-Cocaína: (cocaína, não, Heroína! Vi isso no blog da Flor do Dia e amei! *rs!) Gláucia - que pára o seu trabalho pra me dizer, de cima da sua sabedoria: "Você tem que domar ele!"
Domar? Como assim, Bial???? Não se fala isso pra uma pessoa com tamanha fertilidade imaginativa. Logo me vi de chicote em punho, roupa de couro incrivelmente colada no corpo, botas de cano longo e salto alto, domando meu cabelo com bobs e touca. (Esqueci que nesse caso é dominadora e não domadora, mas dá no mesmo! Até onde essa minha imaginação vai me levar!) Tem gente que chama de nero ou joãozinho, mas dá no mesmo. Aí eu lembrei de uma história que aconteceu com uma prima minha. Domadora…

Quando uma mulher não ama um homem

Às vezes penso que existe uma proporção inversa entre o quanto você gosta de uma pessoa e o quanto essa pessoa te dá atenção. Deve haver uma explicação matemática pra isso, uma fórmula mesmo que empírica: gostar = 1/atenção.
Eu sei que não acontece só comigo, mas acho que comigo é sempre com maior freqüência, que neste caso também é o inverso do período, fisicamente falando, que é o tempo para se completar um ciclo. No nosso caso, pode ser o ciclo da vida, ou não. Contrariando a fórmula, quanto maior a freqüência da ocorrência desse fato, maior será o tempo para que eu consiga atingir todas as etapas do meu ciclo de vida, que no meu caso, é namorar, noivar, casar, ter filhos, netos e se der, bisnetos. Se der, porque acho que vou ser uma velha muito chata. Ou não.
Tá, vou falar uma linguagem menos matemática, e partir diretamente para o ilógico, surreal e por quê não dizer, anormal. Porque pra mim, o certo seria gostar de quem gosta de mim, ou fazer com que goste de mim …
Imagem
Volta a melancolia...
E ganho poesia por e-mail de um amigo... está aí, no final do post... será que escreveram pra mim?
Não estou gostando mais da cor do meu cabelo, acho que quero ser morena, morena de olhos verdes... é... seria uma mudança radical...
Acho que preciso viajar... antes que enlouqueça...
Ou preciso enlouquecer pra poder viajar...
Ainda estou obcecada pelo meu sonho de pular de pára-quedas...
"Obcecada" se escreve assim?
É que "Obsessão" se escreve assado... sim, com esse monte de esses mesmo...
OBS-SES-SÃO... é assim sua divisão silábica?
Acho que vou assassinar o português só uma vezinha pra sentir como é...

Perder sem se Perder


Foram-se os amores que tive
ou me tiveram:
partiram num cortejo silencioso e iluminado.

O tempo me ensinou
a não acreditar demais na morte
nem desistir da vida:
cultivo alegrias num jardim
onde estamos eu, os sonhos idos,
os velhos amores e seus segredos.

E a esperança - que rebrilha
como ped…
Imagem
Eu sempre fico emocionada em casamentos. Acho que chorei mesmo em uns dois... mas sempre fico com os olhos cheios d´água, acho tudo lindo, e imagino como os noivos conseguiram chegar até ali. É, porque casamento mesmo está em extinção. Hoje em dia, morar junto é o que está valendo, é mais fácil, gasta-se menos com festas e se um dos dois, ou os dois enjoarem da cara um do outro, cada um vai pra sua casa e fica tudo bem.
Hoje à noite, no casamento de um colega, das 4 meninas que estavam comigo, 3 não estão nem aí pra casamento, só querem um companheiro e apenas eu e Iris, que já casou e descasou, declaramos o nosso sonho de casar na igreja, tudo direitinho. Por enquanto é só um sonho mesmo... porque eu só imagino o dia em que eu estarei no altar (oh!), parecendo um bolo, cantando e ouvindo meu amado cantar pra mim... pense! Vou chorar pouco! E quem viver, verá!

Mas, hoje... "hoje eu não quero mais me machucar..."

A não ser você
(Marina Lima)

Eu vim aqui sem med…

Atención, tá na hora de matar a fomê... tá na mesa, pessoal!!!!!

Imagem
Os funcionários da empresa em que trabalho estão em estado de greve. Quer dizer, é uma greve meio estranha, porque eles vão para o trabalho, ficam na praça até as 10 da manhã e depois voltam para as suas salas. Nesse intervalo em que eles estão fazendo greve, rola um lanche patrocinado pelo sindicato, é o momento mais legal do movimento, porque não só os funcionários, mas também os contratados, fazem uma grevizinha, nem que seja de fome até as 10 e depois vão lá filar a bóia.
Isso já vem acontecendo há alguns dias, mas hoje o rango foi decente. Tinha de tudo. Macaxeira, carne, farofa, frutas, bolos, frios, pão... e é, claro, eu e meus coleguinhas, resolvendo economizar a grana que gastaríamos na cantina, aproveitamos a comida de graça.
A expectativa e o ronco na barriga foram grandes até chegar a hora, mas quando vimos a fila se formando, resolvemos engrossar as fileiras na busca por um salário mais digno!
Estava tudo calmo, até que disseram: "Podem se servir!" -…

Não foi comigo, mas e se fosse?

Imagem
Mais uma da série:Não me faça te pegar nojo! Não foi comigo, mas e se fosse?
Ontem à noite fui para um culto na casa de uma irmã em agradecimento pelo aniversário de sua filha. Tava todo mundo alegre, rindo, cantando, numa boa, até uma mulher cismar, do nada, da cara de um rapaz e soltar uma bomba. Na hora que ela levantou pra falar alguma coisa para a aniversariante, virou pra ele e soltou: "Tá rindo por quê? Ria não, isso é feio, viu?"
NInguém entendeu nada, muito menos ele. Eu fiquei com vontade de rir, porque ele ria mais ainda e fazia gestos movimentando o dedo indicador em círculos ao redor da orelha, mas me controlei porque senão ia ter confusão.
Acho que ela percebeu alguma coisa, pois quando ele saiu, foi atrás, dizer mais barbaridades porque achava que ele estivesse rindo dela.
No final das contas, outro garoto, que conversava com o amigo e ria, olhou sem querer rapidamente pra ela que perguntou novamente: "Que foi? Tá rindo também? Venha aqui que …

Gentem! Olha o que eu descobri!

Tem uma menina aí que pega os meus posts e coloca no blog dela como se ela tivesse escrito.
Num tô entendendo!
Será que ela pensa que meu blog é um sucesso e quer fazer do dela o mesmo copiando tudo o que escrevo? Ou ela pensou que minhas maluquices são poesia e resolveu colecionar no blog?
Eu não sabia que minha fama estava tanta ao ponto de ser plagiada!
Vejam vocês mesmos a prova do crime. Aqui, onde ela copiou os posts dos dias 31/03 e 23/03, este com o comecinho do post do dia 13/04.
E você, queridinha, compareça à delegacia com seu advogado e uma boa desculpa para o roubo dos meus posts. Você sabe que cometeu um crime, não faça essa cara de inocente. E isto é uma intimação.
Oxe!

Super Mulher

Imagem
Sabe aquelas mulheres irresistíveis que têm o corpo perfeito, o rosto maravilhoso, cabelos longos de comercial de xampu, pernas bem torneadas, 90 de busto, 60 de cintura, 90 de quadril, magras com curvas, arrebatadoras, avassaladoras, um olhar quente, fulminante, mãos delicadas, elegantes, misteriosas... sabe? Conhece alguma? Pois, é assim que me sinto.
Calma, deixe-me explicar. É que todo vez que encontro a namorada daquele meu amigo que um dia ia ser mais do que isso e não foi, ela me fuzila com um olhar que até parece que eu sou uma dessas mulheres que conquistam os homens só com o jeito de andar.
Ela me odeia. Isso eu vejo e sei, só não sei o por quê. Por que será, né? E não tem jeito, moramos no mesmo condomínio e acabo encontrando quando saio pra trabalhar. No ponto de ônibus. Sensação desconfortável. Só é bom o sentimento de soberania. Mas ele é dela. E acaba aqui.

Falei e Disse. 
Falta do que falar... olhando minhas fotos, lembrei dessa, que eu acho liiiinda. E…

"Sorrir quando a dor te torturar... e a saudade atormentar..."

Sorrir...
sábado à tarde com as palhaçadas de Thiago Cabral, que pegou um vassoura e colocou uma almofada na altura da cabeça e outra maior na altura das nádegas pra me imitar.
A cena: eu, chorando, no final da Conferência Geral por causa de uma confusão no ônibus que nos levaria de volta pra Aracaju. Chorando, e os meninos super poderosos de Salvador - Tito, Marcos e Dassaiev - tentando me acalmar. Realmente cômico! E me imaginar na vassoura, mais ainda. Aí, haja lembrar de histórias cômicas, apesar de extremamente bobas.
O fim de semana do casamento da Cafuçu. A gente ia de Aracaju pra Paulo Afonso, quando o carro do meu pai quebrou num povoadozinho de Sergipe. Enquanto esperávamos o seguro, eu, Drica e Thiago resolvemos passear pela "cidade".
A cidade parecia mais a fazendinha feliz, a arca de Noé, sei lá o quê. Duas ruazinhas e o que a gente encontrou de bicho! Primeiro um cabrito, manso todo. Thiago alisava o pêlo dele e ele se inclinava todo para o l…

Simples Carinho

Amar e sofrer, eu vou te dizer
Mas vou duvidar
Querendo ou não
O meu coração já quer se entregar
Não falta lembrança, aviso, cobrança
Você vai por mim
Mas feito criança
Lá vou na esperança
Eu sou mesmo assim
Quem sabe até meu destino
Amor sem espinhos
Sou mel da sua boca, calor dos abraços
E tantos beijinhos
Se o sonho acabou, não sei meu amor
Nem quero saber
Só sei que ontem à noite
Sorrindo acordada
Sonhei com você

Às vezes até na vida é melhor
Ficar bem sozinho
Pra gente sentir qual é o valor
De um simples carinho
Te sinto no ar, na brisa do mar
Eu quero te ver
Pois ontem à noite
Sonhando acordada
Dormi com você


(Angela Rô Rô)

"Tolice é viver a vida assim, sem aventura"

Imagem
Um pouquinho de mitologia grega...

"Segundo Platão, no início da criação, os homens e mulheres não eram como são hoje; havia apenas um ser, quer era baixo, com um corpo e um pescoço, mas sua cabeça tinha duas faces, cada uma olhando para uma direção. Era como se duas criaturas existissem grudadas pelas costas, com dois sexos opostos, quatro pernas, quatro braços.
Os deuses gregos, porém eram ciumentos, e viram que uma criatura que tinha quatro braços trabalhava mais, duas faces opostas estavam sempre vigilantes e não podia ser atacada por traição, quatro pernas não exigiam tanto esforço para ficar de pé ou andar pro longos períodos. E, o que era mais perigoso: tal criatura tinha dois sexos diferentes, não precisavam de ninguém mais para continuar se reproduzindo na terra.
Então disse Zeus, o supremo senhor do Olimpo: 'Tenho um plano para fazer com que estes mortais percam sua força´.
E, com um raio, cortou a criatura em dois, criando o homem e a mulher. Isso a…
Imagem
Ele olhou pra mim e disse: "Você é tão corajosa, tão decidida, tão forte, não tem medo de nada. Acho que nunca chora!"
Hum! Queria mesmo ser forte, mas tudo me abala. Eu mantenho a pose de mulher fatal. Mulher, o quê? Tadinha. E assim vou fingindo, fingindo que não tô nem aí. Mas, vem, vem falar dos seus problemas que eu quero te ouvir.
E por causa de uma frase, minha mente voa e eu penso em um milhão de besteiras. Lembro do filme Dirty Dancing que já assisti milhões de vezes.
Patrick Lindo Swayze, revoltado, conversa com a mocinha sem graça que ele ensinou a dançar: "Você não tem medo de nada. Olha o mundo e quer melhorá-lo!". E a mocinha desengonçada diz: "Eu? Eu tenho medo de tudo. Tenho medo do que fiz, do que vi, e mais do que tudo, tenho medo de sair daqui e nunca mais sentir pelo resto da minha vida o que sinto quando estou com você!".
Pô, tem que ser corajosa mesmo pra dizer isso pra o Patrick Gostoso Swayze. Se ela pudesse avançar um …
Não fui trabalhar. Febre. O dia todo na cama. Apesar de doente, estava me sentindo sexy. Deitada de bruços, cabelo no rosto. Ninguém pra tirar, ninguém pra me olhar.
Tarde toda na cama. Acordei deprimida de tanto dormir. Levantei, olhei o céu que escurecia, fiz uma prece. Não queria comer, mas comi. Só um pouquinho. Tomei banho e resolvi me arrumar. É, arrumar mesmo. Passar maquiagem. Risos. Ajeitei o cabelo que fôra tratado no dia anterior no salão caro do Shopping (sou extravagante quase sempre), passei rímel, pra ver como ficam os meus cílios. Pó pra esconder as olheiras. Nada de batom. Um pouco de brilho. Ajeitei os cabelos novamente e coloquei o perfume que só uso pra sair. Fiquei biíta! Pena que minha câmera está sem flash e vocês não vou poder ver como fiquei linda. Linda pra ninguém. Fazer o quê. Nada é perfeito.
Imagem
Já entrei aqui hoje inúmeras vezes tentando postar alguma coisa. Escrevi três posts, mas achei todos três falsos demais para o meu humor hoje. Durante as minhas tentativas, acabou saindo uma carta pra minha amiga Jade, cujo início diz o seguinte:
"Entrei no blog e tentei postar alguma coisa. Tentei postar um sorriso, mas não tinha nenhum. Tentei postar uma história engraçada, mas nem eu mesma consegui rir dela... queria postar sobre mim... mas não posso, tenho que fingir...". O restante do conteúdo não vou poder colocar aqui, obviamente, mesmo com muita vontade. O problema é que se eu escrevesse estaria jogando todas as minhas cartas, correndo o maior risco de perder, simplesmente pelo fato de nunca ter tido a sorte de ganhar alguma coisa. Mas deixa isso pra lá.
O que posso contar é isso: acordei com uma baita gripe. Quer dizer, gripada já estava, mas hoje acordei pior. Aí, já sabe, o humor vai para baixo, bem pra baixo. O corpo mole, vontade de ter um colinho p…
Imagem
"A crueldade de que se é capaz, deixar pra trás os corações partidos..."

Com emoção ou sem emoção?

É certo: quem não chora não mama. Depois do meu post de quarta-feira, meu amigo Gil, fiel amigo leitor do meu blog, comovido com a minha lamentação de ser a última nos seus planos, largou o almoço especial de sexta-feira santa com a família pra ir passear com as amigas. Mas qual o homem que ia preferir comer peixe a sair com quatro mulheres? Como meu amigo é O TAL, O BONITÃO, ele não poderia dizer não ao meu pedido tão doce e delicado. Claro que eu sei que ele só me atendeu porque "siri-na-lata" mandou intimá-lo dizendo que contava com ele.
Resumindo, depois de mil voltas na cidade (mulher é sempre um problema, sempre tem um milhão de coisas a resolver antes de ir diretamente ao assunto), chegamos à praia. Eu, claro, anta de plantão, levei a câmera para registrar o momento e esqueci as pilhas, então nada de fotos.
Foi tudo lindo e maravilhoso e nem vou dizer que quase éramos vítimas de um acidente terrível. Eu vi a morte na minha frente, e se não fossem noss…
Imagem
Não adianta ter uma lua cheia, linda e amarela no céu.
Não adianta me convidar para vê-la sobre mar, numa noite de céu estrelado.
Não adianta ter uma brisa marinha que brinca com meu cabelo enquanto você tenta ajeitá-lo.
Não adianta nem mesmo os barquinhos de pesca, simples detalhe.
Não adianta palavras doces, sussurros.
Não adianta respeito e demonstrações de carinho.
Não adianta esperar, não adianta querer e tentar me convencer, tentar me conquistar.
Não adianta querer pintar o cenário mais bonito e encenar a peça mais perfeita.
Nada adianta... tranquei meu coração pra você... não somente pra você, posso dizer, mas digo só pra te consolar.
Não me pergunte o por quê, mas não quero teus beijos, não quero teus abraços, de você nada quero... não adianta.
Perco meu olhar nas luzes distantes da cidade. Não ouço tua voz. Minha alma voa... longe... longe.

(Para alguém que não se cansa de esperar)
Imagem
Tantos planos para o feriadão.
Pensei que ia passar os quatro dias em alguma praia maravilhosa com alguma companhia agradável. Voltaria preta do sol e mil reais mais pobre, mas com a alma lavada em água e sal.
Agora com a proximidade do feriado vejo que os planos eram só sonhos. Mais um sonho, como o que tive esta noite em que ia pular de pára-quedas pela primeira vez em minha vida. Acabei acordando, ou o sonho mudou, sei lá, sei que eu não pulei. Fiquei só com a adrenalina da emoção contida... mais uma vez.
Pelo menos esse feriado estarei mais feliz e menos sozinha que ano passado, em que fiquei com o branco do teto de gesso cantando músicas de Guilherme Arantes e Djavan: "Tenha calma, não se vá, meu pop star, tenha fé... te prometo vir a ser do jeito que você quer..."
Talvez eu vá tirar o amarelo da minha pele em algum praia aqui da cidade mesmo. Talvez vá ao shopping gastar algum dinheiro (menos de mil, claro). Talvez vá pra Paulo Afonso olhar o teto branco…
Ninguém votou mais em mim e estou perdendo o concurso de Miss Scone.
A minha concorrente tem namorado, então ela tem alguém pra votar por ela. E eu? Quem poderá me defender? Acho que nem o Chapolim Colorado. Mas não tem revolta não, já estou acostumada. No final do concurso, daqui uns cinco dias, eu acho, vou fazer que nem o Zulu do Big Brother quando saiu da casa, e gritar: "A mais odiada!"
Se alguém se compadecer, aí está pela dodecaésima vez o link.
Votem em mim! Aqui, meu amigo!
Como ainda estou de luto, não só pela morte do meu gato mas também pelo fim de alguns sonhos (pra dramatizar um pouco mais), nada vou escrever aqui pra não deixar meus amigos deprimidos. Afinal de contas, a dor alheia não é interessante a grande parte da humanidade. Então, leiam TOPS DE LINHA. Hoje com um texto de leitura fácil e descontraída da amida Jade.
Enjoy the Party e comentem!

Estou arrasada! Meu filho morreu.

Sou agora uma mãe desfilhada. Fiquei sabendo hoje. Assim que acordei minha mãe veio me dar a notícia que uma coisa terrível tinha acontecido e que era com alguém que eu gostava muito. Quando ela me disse que alguém tinha morrido por atropelamento, já comecei a chorar, logo imaginei que tivesse sido meu bebê.
Aquele que eu tirei das ruas, que cuidei, aquele que eu amei, que se salvou de duas quedas do terceiro andar, aquele que era tão pequeno e chorava a noite toda, só se acalmando quando eu o colocava junto de mim na cama.
Fiquei triste o dia todo. Meu tigrinho... meu bebê-gato de olhos azuis... rebelde como qualquer filho adotivo, mas que eu amei como se fosse meu.
Chorei. Minha mãe disse pra eu não me preocupar porque ele não tinha alma, e eu chorei mais ainda, pois sei que a única forma dele subir ao céu será no bico de alguns urubus. Meu pai só soube da morte dele no dia seguinte, não o enterrou, deixou-o jogado mais adiante. Abandonado. Da mesma forma que o encontrei…
Imagem
Eu ainda lembro de quando ele era um menino. Loirinho. Sapeca. Inquieto.
Lembro também, apesar de vagamente, de quando ele nasceu, a irmã o segurava no colo como quem segura uma lagartixa (não que ele fosse tão pequeno quanto).
Nunca gostou de estudar. E imagino hoje a cena dele correndo até o trabalho da mãe pra dizer que a professora brigou feio por ele não ter feito o dever. Nenhum dos deveres, melhor dizendo. Aliás, no caderno dele não tinha nada escrito, só o que fazia era desenhos animados nas folhas dos livros. O percurso era longo, e ele correu tanto que chegou vomitando tudo o que comeu. Em prantos. Professora má.
Lembro dele descendo a ladeira de bicicleta com mais de mil e a irmã, medrosa, gritando:"Menino, você vai cair!" - e depois ele chegando em casa todo ensanguentado da queda.
Lembro disso. Dele brigando com a irmã que tinha "boca de praga". Dele brigando com a mesma irmã boca de praga porque ela alertou que ele poderia quebrar o pe…