Páginas

terça-feira, 28 de abril de 2009

Que fique muito mal explicado
Não faço força pra ser entendido
Quem faz sentido é soldado
Para todos os efeitos meus defeitos não são meus

Que importa o sentido se tudo vibra?
Não importa o sentido
O bramido do meu canto mudo
Comporta bemóis e sustenidos
Convoca ouvidos surdos
Ao silêncio suave
Da melodia sem conteúdo

Está escrito
Quem não quiser ceder ao canto das páginas
feche os olhos
ou tape com cera os ouvidos

(Sentido - Alice Ruiz)

terça-feira, 21 de abril de 2009

"Vivemos esperando
Dias melhores
Dias de paz, dias a mais
Dias que não deixaremos
Para trás

Vivemos esperando
O dia em que
Seremos melhores
Melhores no amor
Melhores na dor
Melhores em tudo"...

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Falei lugar ruim, hein?

"Aqui onde eu não moro não existo sem você".
(Capital Inicial)

Aqui quando não falta água, falta luz. O celular não pega, a internet não funciona. As ruas não têm calçamento, não têm drenagem, alaga tudo, fica tudo elameado, a água da chuva escorre e forma verdadeiras crateras onde carro nenhum consegue passar. Eu sei que falei que com você eu iria para os lugares mais inóspitos, mas não imaginei que fosse ser assim.

"A woman will leave her home to Rome
And leave her family
To be with the one she loves
All for love"...
(Jimmy Cliff)

quinta-feira, 9 de abril de 2009

“Em tempo de guerra, a verdade é tão preciosa que ela precisa ser guarnecida por uma escolta de mentiras".
(Winston Churchill)
Ich fühle sehr.
(se é que "sinto muito" se escreve assim em alemão...)

quinta-feira, 2 de abril de 2009

O inimigo sussurra palavras de derrota ao meu ouvido. Mesmo sabendo que é um sonho, não consigo acordar. Certa noite não conseguia dormir e vi quando ele entrou no meu quarto. Acendeu a luz da sala, ligou a televisão, entrou sorrateiramente. Aproximou-se do pé da cama, deu a volta até o lado direito, depois retornou e passou para o meu lado. Chegou muito perto de mim. Olhou-me sem olhos. Tentei gritar, não consegui. Meu bem me acordou, tocando em meu ombro: "Por que gritou palavras de repreensão em nome de Jesus"?

Jesus. Por mais que eu queira me aproximar a correnteza sempre me leva no sentido contrário. O estar perto. A comunhão. A igreja. Eu só queria estar lá.

Por mais duas vezes o inimigo me visitou. Torceu meu braço, me insultou. Uma vez meu irmão me socorreu ao ouvir meus gritos. Outra vez consegui tirá-lo de cima de mim empurrando-o com os dois pés. Fiquei encolhida na cama e o ventilador caído no chão.

O inimigo zomba de mim. Ele conhece as minhas fraquezas. Olho no espelho e vejo todos os meus cabelos caídos no chão. A imagem de uma mulher careca, ou de uma formiga grande com olhos inchados de chorar.

E o inimigo ri, balançando as mãos como um louco demente. Olho, indignada, balanço a cabeça e digo: "Não tem a menor graça. Brincadeira tem limite, brincadeira tem limite".