Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2007
"E na distância morro todo dia sem você saber"... (Roberto Carlos)
Sinto a falta dele como se me faltasse um dente na frente: excruciante". (Clarice Lispector)
"Viagem boa, Riobaldo. E boa-sorte"...
(G. S. Veredas, p.52). 
Prometi que não ia contar cada dia até ele voltar. Ainda bem que já se passou quase 1 dia. Faltam só 31. Por que dessa vez o mês vai durar 32 dias? Coisa estranha...
Prometi que não ia chorar muito, mas quando ele disse "amo você", me beijou no portão e virou as costas entrando no táxi, o nó apertou. Tive que afrouxá-lo. Chorei, olhando pra um milhão de estrelas no céu ainda escuro, pra não perder a coragem de sonhar.
Tive sonho ruim. Acordei com gosto de morte na boca. E agora quem vai salvar a minha vida nesse final de ano e início do próximo? Ainda mais agora que o mês vai durar muito mais...
É, mais um ano acabou. Ainda estou viva. Pelo menos sei que ainda respiro. Não sinto vontade de fazer o balanço final. Pelo menos hoje não. Mas sinto vontade de mudar, mudar o cabelo, mudar de cidade, mudar de vida, fazer só o que gosto, cuidar de mim, porque foi o que ele me pediu, porque eu preciso. Preciso ped…

En el muelle de San Blas

Imagem
És precária e veloz, Felicidade.
Custas a vir e, quando vens, não te demoras.
Foste tu que ensinaste aos homens que havia tempo,
e, para te medir, se inventaram as horas.

Felicidade, és coisa estranha e dolorosa:
Fizeste para sempre a vida ficar triste:
Porque um dia se vê que as horas todas passam,
e um tempo despovoado e profundo, persiste.
(Epigrama n. 2- Cecília Meireles)
Antes eu conseguia rir da minha própria desgraça, hoje não mais.
Sei que tudo concorre para o bem dos que amam a Deus, mas quando uma coisa atrás da outra começa a dar errado, o riso murcha e mangar de mim mesma perde a graça. Difícil até levantar da cama por não ter forças.

Felicidade são as poucas horas em que posso sentir o seu leve respirar, tem um cheiro tão bom. Bom também é quando ele ri das besteiras que eu falo, e depois repete mil vezes como se fosse a coisa mais linda que já tenha ouvido. Lindo ouvi-lo repetir: "Gosto muito de você", mesmo que lá no fundo meu ceticismo grite que não é verdad…

Momento agorafóbico

Imagem
(Teimosamente falo sobre o assunto, mas as vezes é bem melhor ficar calada)

Bb, sabe quando você me pergunta pra onde eu vou quando terminar o curso? 
Sim...
Eu sempre reluto em responder e te digo que talvez volte pra Aju, mas não é verdade, não é o que eu quero... eu não vou voltar pra lá... nem vou ficar aqui... eu vou voltar pra obra.
Vai voltar pra obra de onde veio? Ou pra outra? Qual obra?
Não sei qual, não sei pra onde, mas quero ir pra não ter que morar mais sozinha. A colega (a que me chama de "minha magrelinha") sempre me disse que me leva pra onde ela for, me leva debaixo do braço mundo afora, e eu vou. Mandaram umas fotos de Coari, me convidaram, e eu tenho coragem de ir.
Onde é Coari?
É no Amazonas, a obra de Manaus, meu bem.

Ele ficou um tempo em silêncio pra depois dizer:

Por mais que eu não concorde, vou sempre respeitar o seu direito de agir e pensar, e estarei sempre torcendo por você. 

Não era bem o que eu queria ouvir, mas quis explicar.…
E tudo era muito para um coração de repente enfraquecido que só suportava o menos, só podia querer o pouco aos poucos. Clarice Lispector

Despedir dá febre.

"Despedir dá febre." 
(Guimarães Rosa - Grande Sertão Veredas)
Vivo queimando constantemente a 40 graus. Ah, essa minha mania de ser romântica! De achar que cada encontro é uma despedida. Até quando, não sei.

Ontem, com uma tpm desgraçada, eu queria mais era matar cada vendedor ambulante que entrava gritando seus produtos dentro do ônibus, me tirando da absorção dos meus vãos pensamentos. Mataria, faria uma favor a mim e à sociedade. Só aqui mesmo em Salvador que tem isso, nunca vi em lugar nenhum. Coisa de baiano. Mataria meu chefe também, que ontem teve um ataque por causa de uma simples chave. Mataria a mim mesma só pra provar pra meu bb que eu não sou dramática, só pra provar que sofro com minha agorafobia e meu transtorno obsessivo compulsivo por cores. Deixaria ele de "cabeça ruim", só pra me vingar da falta de carinho e atenção com os meus problemas. Humpf!
Isso me lembra que ganhei dele um tênis lindo - preto com rosa, e só consigo usar com a malha de academ…