Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2014

Escolhas

E ela preferia a tristeza ao desejo, mesmo sabendo que não tinha o direito de escolha. Era sempre ele que dava as cartas, que ia e vinha quando bem entendia. Ela sempre preparava a casa, enquanto ele só tocava a campainha e corria, como o menino moleque que sempre foi.
Eu sei quem eu sou e quem posso ser se eu desejar.  (Cervantes)

Fantasmas

Quando os meus fantasmas vêm me assombrar, coloco meus fones de ouvido, uma música alta para tocar e assim não os ouço.

Sem explicação

Tem coisas que são sem explicação. A gente procura uma certa lógica e não encontra. Desejos que não deveriam existir e são realizados. Desejos que existem e nunca se realizarão.  Palavras que não deveriam ser ditas e são. Palavras que mereciam ser bradadas aos quatro ventos e são caladas. Um vazio que é preenchido com coisas que não completam. A incerteza de uma vida estranha, onde a gente busca o certo e só se depara com o errado. Sonhos que sempre serão sonhos. Realidade nua e crua, mais crua, do que nua, por estar sempre travestida e maquiada. Distanciamento. Procura. Presença. Ausência. O estar sem estar. O não estar que nunca vai embora. Vai entender. A única certeza: a água entra em ebulição quando submetida a uma fonte de calor elevada. E eu tirei 5 em Física, uma vez tirei 0. Zero. Uma vez só. Dizem que chorei, mas chorei mais quando tirei 9,5 em matemática e não 10. Tomemos um chá, antes que a água esfrie.

Palavras

Para consolar uma pessoa são necessárias milhares de palavras e nem sempre usadas com sucesso. Para entristecer, basta uma frase e com eficácia sempre comprovada. Sentindo-me muito triste.

Eu nunca me engano

Lembra de quando eu te disse que eu nunca me enganava? 
Vi uma foto hoje que só comprovou o que meu sexto sentido sempre me dizia. Você dava risada e repetia que era bobeira minha. Por mais que você tenha me dito que ia me provar o contrário, sempre me deu e me dá provas contrárias que não. Amizade nenhuma, bondade nenhuma, carinho nenhum. Não, eu nunca erro, eu te falei, lembra? Eu te falei... Porque a leitura que faço de alguém nunca é falha, nunca foi, nunca será. Sou boa em análise, sou boa em ler pessoas, sinais, gestos, modos, sou boa em ver coisas que ainda vão acontecer. Você nunca acreditou em mim. Acredita agora?