"Não, não é cansaço... é uma quantidade de desilusão que se me entranha na espécie de pensar"...

Fiquei tão desorientada que não sei por onde começar a arrumar minhas coisas. Faltou energia por um bom tempo e fiquei à luz do luar. Ri, mas não tinha graça. O estômago embrulhava e a cabeça doía. Tenho medo do meu intestino novamente não suportar, ele é sensível a desilusões e da última vez quase me fez morrer. Sim, eu sou sensível a sentimentos ruins de pessoas ruins. Talvez eu seja fraca, que seja, mas não sei ser ofendida e perdoar, ser magoada e sorrir.
Talvez eu devesse mesmo ter feito pedagogia. Estaria agora trabalhando numa loja no comércio da minha cidade natal, com dois ou três filhos... ou talvez estivesse na Europa, ou na Austrália, lendo um romance, tocando um piano. Mas não, "quero fazer engenharia, estar pau a pau com os homens". Que pau, minha filha, que pau? Ainda quero saber quem foi a mulher que queimou sutiã e exigiu direitos iguais, porque hoje eu só queria ter batido um bolo e esperado o marido chegar em casa.

Comentários

  1. kkkkkkkk. É complicado isso de ficar pau a pau com homens. Eles sempre querem defender o que eles tem de nascença.
    Mas um dia vc chega lá. Quero dizer: ficar tranquila lendo, escrevendo sobre todas as suas experiências e tocando seu piano.
    Beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Seu comentário aqui é soberano!

Postagens mais visitadas deste blog

Eu sou do Trecho

Como curar panela de pedra sabão - a saga

Cortina Longa x Cortina Curta