"com os que erram
Feio e bastante
Que você consiga
Ser tolerante"...
(Amor pra Recomeçar - Frejat)

Recebi um e-mail interessante que contava uma fábula sobre o Porco Espinho. Nele mostrava-se porque esses bichos espinhentos aprenderam a lidar e aceitar os espinhos uns dos outros... para não morrer de frio. Oh! Achei lindo e fofo(?) a foto do pequeno porquinho-espinho e pensei - Por que não tentar pôr em prática na minha vida e ter dias mais leves e mais felizes?



Acordei determinada a isso. Ser mansa, paciente e tolerante. Logo de manhã um colega me trata com um pouco de falta de educação comigo. Arranca algo das minhas mãos, justifica-se às pressas e manda eu me virar pra arranjar outro objeto igual. Respirei, tentei dialogar, não surtindo efeito, me calei.
Mais pelo meio da tarde, um outro colega faz pequenos comentários fundamentados em informações desencontradas a meu respeito. Contei até mil, procurei esclarecer e lamentei (em pensamento) pelas "limitações"  (para não dizer burrice) que ele possuía.
Pelo meio-dia, algumas cobranças sem sentidos e reclamações infundadas. Pensei na sessão de Pilates de mais tarde, do clima harmonioso... inspira, expira, inspira, expira...
À tarde, exploração a ponto de me fazer pensar se a Lei Áurea tenha sido revogada. Os glúteos doloridos de tanto subir e descer morro de mais de 30º de inclinação. Os pés pesados da lama que se agarrava as botas.
Mais no finalzinho do dia, questionamentos sobre meu trabalho como "o que você fez o dia inteiro"?; e sobre a minha competência: o croqui não está com a linha tão perfeita quanto o fiscal julgou que deveria estar.
Lembrei da mensagem e do pequeno porquinho... pensei que precisava suportar aqueles pequenos espinhos pois o calor humano é necessário para não morrer de frio na solidão. Meditei um pouco mais e analisei qual das duas opções faria com que me sentisse melhor naquele momento: engolir o sapo calada ou mandar o fdp tomar no c*?
Fiquei com a segunda opção.

Comentários

  1. Muito bom o texto. Vc sempre com seu jeitinho de escrever. Devia ter feito letras. Ficar em casa sentada diante do laptop escrevendo. Aí teria poucos aborrecimentos. Mas a vida é assim mesmo. A gente tem que passar por muitas coisas desagradáveis para dar valor a outras mais simples que não vemos.
    Sucesso, e que Deus lhe abençoe.
    Não perca a paciência, lembre do calor humano.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. A segunda opção é bem melhor pra acabar com o stress!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Seu comentário aqui é soberano!

Postagens mais visitadas deste blog

Eu sou do Trecho

Como curar panela de pedra sabão - a saga

Cortina Longa x Cortina Curta