Ingratidão tira afeição

Ditado mais certo esse. 
Triste com algumas pessoas que tentei  ajudar e só me deram patada como retribuição. Mesmo assim não aprendo, sigo ajudando financeiramente um a estudar, outro a construir um lugar pra morar, outro a ter um emprego que possa pagar suas contas. Movo céus e terras, falo com Deus, o mundo e seu Raimundo. Nunca por mim, sempre pelos outros. Levo de carro pra cima e pra baixo, não cobro combustível, não cobro nada. Madre Tereza de Calcutá. Esse deveria ser meu nome. Mas... é como dizem, faça o bem sem olhar a quem. Dar com a mão direita sem que a mão esquerda veja. Sem esperar nada em troca. Mas não aprendo. Fico sempre esperando, esperando pelo menos um sorriso de gratidão. 

Comentários

  1. Só faltou uma imagem com um carimbo bem grandão: ALMA NOBRE! O que faço quando me sinto assim é parar um pouco e tentar selecionar melhor os beneficiados pelo Pró-Flávia. E ainda bem que não sei dirigir direito ainda, rs. bjs

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Seu comentário aqui é soberano!

Postagens mais visitadas deste blog

Eu sou do Trecho

Como curar panela de pedra sabão - a saga

Cortina Longa x Cortina Curta