Dia do Escritor



Meu dia também!



Mais do túnel do tempo:



"O amor é um sentimento tão delicado que às vezes a gente se satisfaz apenas com a ilusão de que ele existe".
(By Dieguinho)


Não sei quem é Dieguinho, só sei que ele falou isso e minha prima achou que fosse um consolo. Eu achei triste. Mas é verdade. Muitas vezes me conformei com migalhas de amor. Ficava como um cachorrinho, abanando o rabo, olhando pra cima, pra mesa do dono que comia em abundância, enquanto eu morria de fome e de vontade. De vez em quando era enxotada, mas voltava com as orelhas baixas, fazendo "huuuimm, huuuimm!" e com os olhos marejados de lágrimas (ou encharcados delas), até a próxima patada que fosse definitiva.

Sempre ficava na esperança de que a pessoa gostasse de mim de alguma forma, que fosse ficar comigo de alguma maneira, na ilusão de que me amasse, apesar de toda rejeição.

E olha que dói. Rejeição é quase como uma dor física. Dói na alma. Tudo perde a cor, perde o brilho, nada vale a pena. E não é drama. Só sabe como é ruim quem sente.

Já senti muito isso. Hoje não mais. Mas ainda choro quando ouço alguém me conta que foi rejeitada, que foi trocada. Choro junto. Parece doer em mim.

O bom é que tudo passa. Mas ainda sinto um arrepio na espinha quando lembro.

Também já rejeitei. Até hoje me sinto culpada por isso. Eu não queria, não foi de propósito. O peso da consciência foi por que fui cruel, apesar de não ter sido insensível. Mas já paguei por isso, na mesma moeda. Todo mundo paga. A lei da ação e reação.

Isso é meu consolo.

Falei e Disse.

(Domingo, Julho 25, 2004 - 12:21 PM )

Comentários

Postar um comentário

Seu comentário aqui é soberano!

Postagens mais visitadas deste blog

Eu sou do Trecho

Como curar panela de pedra sabão - a saga

Cortina Longa x Cortina Curta