Dia do Trabalho - É pra se comemorar o quê?

O capitão do navio pulou fora no primeiro barquinho que encontrou... Quando eu digo que sou mais homem que muito homem... ai, ai. Como pode ser tão covarde e mentiroso? Ele, sim, é cínico e debochado de uma forma inacreditável. Na minha mente ainda tem as palavras dele guardadas como se as tivesse me dito hoje. Nunca deu valor ao meu trabalho, nunca aceitou a minha opinião, porque achava que, por eu ser mulher e loira, só podia ser burra. Que um outro zé ruela que não sabe fazer um O com um copo, que fala "vareia", "menas" e "pra mim fazer", esse sim, era o dono da verdade e da razão e que eu tinha mais era que "ajoelhar e pedir a benção" a tal pessoa, aceitando todas as suas decisões. Nun-ca! Porque nunca concordei com esse negócio de mulher submissa. Nunca vou ser. Tratem-me de igual para igual. Melhor, nesse caso em particular, eu, como mulher, sou muito mais superior.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Eu sou do Trecho

Como curar panela de pedra sabão - a saga

Cortina Longa x Cortina Curta