Esperar, esperar, esperar.

Nunca gostei de ser a primeira a chegar aos lugares e ter que esperar o local encher, os conhecidos aparecerem ou o evento começar. Nunca gostei mesmo de esperar. Hoje espero, espero, espero. Está tudo vazio, sento e aguardo. O quê eu não sei exatamente, mesmo assim espero passar, sair, voltar. Espero o gosto amargo da boca sumir. Espero a crise findar. Espero ele voltar. As coisas se resolverem. Sinto falta do que fazia sempre e espero ter disposição para fazê-las novamente. As pessoas tentam me ajudar, dão sugestões, me culpam de extravagâncias, ah, você deveria estar mais atenta, levar mais a sério... mas nem sempre saber fazer a hora adianta, faço o que tenho que fazer, e só espero acontecer. 

Enquanto espero, termino de ler Os Homens que Não Amavam as Mulheres. Depois de 2 meses, enfim, acabei o livro de  fevereiro. Meu calendário está atrasado e mesmo atarefada com tantos concursos e cursos, acho que ainda dá tempo de correr atrás do prejuízo. Esse é mais um dos livros que prefiro o filme a ele. Muitas informações desnecessárias à trama, pouca atenção ao relacionamento entre os protagonistas, não dá pra saber direito o que Mikael sente por Lisbeth... ah, não gostei. O filme teve alguns detalhes modificados, mas dá mais ênfase a ela e seus problemas de comportamento e de vida. Algo  mais a se esperar - o próximo filme da série. Esperando, então.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como curar panela de pedra sabão - a saga

Eu sou do Trecho

Cortina Longa x Cortina Curta