Já morei em tanta casa que nem me lembro mais...

Não é bem verdade, eu lembro, sim. Não tem como esquecer meu primeiro lar, a residência dos meus pais, hoje perdeu todas as características de casinha na Vila da Chesf, com muro baixo de pedra, planta tapa-muro e piso vermelho, mas as lembranças da minha infância e adolescência ainda permanecem lá. Já o meu primeiro lar aqui em Aracaju continua do mesmo jeitinho de 16 anos atrás. Deste tenho lembranças ruins aos montes, algumas tristes, outras muito triste e poucas (mas boas!) bem engraçadas. 

Gosto de relembrar as repúblicas por onde passei, é de onde tenho as lembranças mais intensas dos últimos anos. A primeira era toda pintada de verde clarinho. Era uma casa muito boa, grande, com uma cozinha nos fundos que dava para um espécia de mini-bosque, onde eu costumava ver o sol se pôr. Meu quarto era pequeno, o menos privilegiado, mas tinha uma  saída independente, o que facilitava quando era preciso chegar mais tarde sem acordar as outras colegas engenheiras. 

Quintal da república em Esplanada
Minha segunda república, se assim posso considerá-la: um sobrado amarelo onde encontrei o amor da minha vida. Boas recordações, a churrasqueira ao lado, a neblina que podia ser vista da janela do primeiro andar.... 
Esplanada-BA
Já em São Mateus, a casa na praia de Guriri era meu refúgio nos fins de semana. Uma delícia no verão e também no inverno, com um friozinho gostoso e aconchegante. Detalhe para as acácias no quintal da frente, que floresciam de tempos em tempos pintando o chão de amarelo. 

Guriri, São Mateus-ES
E por fim, esta foi meu lar por dois anos em Teixeira de Freitas-BA. No início eu morava sozinha nessa casa enorme sem vizinhos do lado. Rua de chão batido, quando chovia era um horror. Lugar perigoso, dormia morrendo de medo, apesar da cerca elétrica, do portão eletrônico, pra mim não adiantava muita coisa. Mais tarde, casa mais populosa, ficou conhecida como a República das 7 Mulheres ou das Irmãs Metralhas (detalhe para o número da casa: 171). Muitas lembranças, muita saudade, principalmente das amigas que moravam aí, dos amigos e agregados que a frequentavam sempre. Só restou uma foto para ilustrar as muitas histórias. 

Teixeira de Freitas - BA
Depois dessas passagens por repúblicas e por uma morada de 1 ano em Salvador, numa avenida barulhenta, super movimentada, estressante, mas de onde dava pra ver uma pontinha distante do mar que me trazia breves acalentos, estou agora no que posso chamar de Meu Cantinho - onde tudo foi escolhido a dedo e com muito carinho - o lugar mais gostoso do mundo.

Comentários

  1. Seria interessante uma série de posts contando historias das "Metralhas do 171". Creio que há boas coisas guardadas...Fica a sugestão. Belas fotos. Parabéns.

    ResponderExcluir
  2. Só faltou a foto da casa nova!

    ResponderExcluir
  3. Já contei algumas histórias aqui no blog, César, como a viagem para Porto Seguro e nossa mania de fazer palavras cruzadas. Vou tentar achar o link pra te mostrar. Historias bobinhas, mas que me trazem muita saudade.

    ResponderExcluir
  4. E realmente, Thi, faltou a foto. Vou tirar uma bem bonita pra colocar. rs!

    ResponderExcluir
  5. Estava um tanto triste por pensar que ainda terei pelo menos mais três casas antes de chegar ao 'meu cantinho', mas você me lembrou bem: minhas melhores lembranças recentes estiveram vinculadas exatamente com cada uma das muitas repúblicas por quais já passei.. e que sejam assim nas três próximas também!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Seu comentário aqui é soberano!

Postagens mais visitadas deste blog

Eu sou do Trecho

Como curar panela de pedra sabão - a saga

Cortina Longa x Cortina Curta