Ilha da Sogra e Mangue Seco

Feriado no meio da semana = turismo local.


Fomos até a divisa dos estados Sergipe e Bahia para conhecer a Ilha da Sogra e Mangue Seco, num passeio muito legal na escuna Gazzela. Para quem não sabe, Mangue Seco fica na Bahia e é o lugar onde foi gravado a novela Tieta (acho interessante quando falam dos lugares citando as novelas globais, como se o lugar tivesse ficado mais bonito depois dela). Já a Ilha da Sogra fica em Sergipe e nada mais é que um banco de areia no meio do encontro do rio com o mar.


A escuna não pôde atracar na Ilha da Sogra porque a maré estava alta e o mar agitado. Só passamos por perto e paramos na Ponta do Saco (Praia do Saco), mas isso não impediu que o dono do barco fizesse várias piadinhas que deixariam a sogra de marido meu irritada. rs! 


Ponta do Saco - nome estranho, lugarzinho pitoresco. De um lado o rio com seus manguezais, do outro o mar. Não há barracas de praia. As mesas e cadeiras são da escuna e não há muita opções no cardápio. Como eu, Livia e Thi somos vegetarianos, atacamos as frutas que estavam no barco de cortesia para os passageiros. Sugiro que alguma novela seja gravada por lá para que o turismo seja aprimorado.


Depois da Ponta do Saco, fomos para Mangue Seco. Passeamos de bugue pelas dunas (mais uma referência à novela Tieta), almoçamos na praia (a comida é saborosa, só a salada que não era grandes coisas), conhecemos a vila que fica à  beira do rio. Lugar rústico, mas muito atraente com suas ruazinhas de areia fina.

Gostei demais dos lugares que conheci e revi (já tinha ido a Mangue Seco), mas o que mais me chamou a atenção hoje foi um lugar que passamos antes de pegar a escuna: A Lagoa dos Tambaquis.



Logo quando cheguei achei que seria perda de tempo e de investimento (míseros R$2,00. rs!), mas ver aqueles peixes enormes vindo comer ração na nossa mão me encantou. Os Tambaquis são escuros e chegam a pesar 30kg, são também conhecidos como Pacu. Eles chegam até bem perto da beira da lagoa "pedindo" os petiscos que temos nas mãos, tão raso que eles precisam ficar de lado para poder nadar e até permitem serem alisados. De tão mansinhos  chega a ser comovente saber que serão devorados pelo apetite insano dos seres humanos. Marido meu só ficava imaginando os bichinhos assados e temperadinhos. Cruel.

Eu lembrei da minha infância e dos pirarucus que nadavam mansamente num dos lagos da CHESF. Painho sempre nos levava para dar pão aos pirarucus, grandes (chegam a ter 3m e pesar 200kg) e tão inocentes, sempre respondiam nosso chamado quando batíamos a mão na água. Eles só queriam o pão que a gente levava, e ficavam por ali, carentes, esperando. 

Depois de um certo tempo eles sumiram, e eu sempre perguntava a painho onde eles estavam, porque não mais os encontrávamos no mesmo local. Painho sempre respondia: "Ah, ainda tem um casal ali perto da guarita da Usina PAIV", mas nunca nos levou lá para vê-los. Hoje sei que não era verdade. O ser humano é implacável, extingue espécies para alimentar seus apetites. Mataram todos os mansos pirarucus até não restar mais nenhum.

Comentários

  1. vixe,dito assim, sobre os pirarucus, deu uma pena. rsss.

    ResponderExcluir
  2. Que passeio maravilhoso, prima!! Muito bom pra relaxar, sair da rotina. Não há nada melhor!!

    ResponderExcluir
  3. Tadinhos dos pirarucus! rs Completei meu post com os detalhes q a preguiça do dia não permitiram. Acho q consegui escrever mais q vc e olha q qdo vi seu post achei q tava grandão! rs

    ResponderExcluir
  4. Vou mandar sua fotos, qdo conseguir tempo para separá-las. Acho q domingo! rs

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Seu comentário aqui é soberano!

Postagens mais visitadas deste blog

Como curar panela de pedra sabão - a saga

Eu sou do Trecho

Cortina Longa x Cortina Curta